NOTA DE ESCLARECIMENTO: Meu INSS e a contribuição da Cáritas

Até o momento 13 pescadores foram assessorados pela Cáritas Diocesana de Crateús (CDC) para acessar direitos previdenciários. O Projeto Pescadoras e Pescadores Artesanais Construindo Bem Viver nos Sertões dos Inhamuns e Crateús, que é realizado pela CDC, em parceria com a CISV e CPP e co-financiado pela União Europeia tem sido fomento na luta contra a invisibilidade e a garantia de direitos das comunidades tradicionais pesqueiras que, por conta da falta de acesso à educação, possui muitas trabalhadoras e muitos trabalhadores na condição de analfabetismo, e carecem de informações sobre como vencer a burocracia estatal, por isso em muitos casos são facilmente enganadas/os ou menosprezadas/os no momento que precisam acessar benefícios.

Uma das contribuições do projeto, nesse sentido, tem sido colaboração no uso do aplicativo “MEU INSS”, com a contribuição de Raila Marques, secretária da Colônia de Pescadoras/es Z-58, de Novo Oriente. Ela e as agentes Cáritas Fátima Veras e Vilmar Santos têm feito atendimentos individuais personalizados, e ajudado especialmente pessoas que são membros de associações de pescadoras e pescadores. Por conta do vínculo com uma entidade de classe, alguns vêm enfrentando dificuldades em acessar direitos previdenciários, mas o direito de participar de um espaço representativo formal não muda o fato de que essas pessoas são pescadoras. Ao contrário, reforça essa identidade. Qualquer discurso que diga o contrário é uma tentativa velada de desencorajar a categoria a se organizar de forma autônoma.

A Cáritas Diocesana de Crateús continuará fazendo um acompanhamento sistemático de todas e todos as/os pescadoras/es dos territórios Inhamuns e Crateús, e a ser parceira na luta para que nenhum direito seja negado e mais benefícios sejam conquistados. Acreditamos nas múltiplas capacidades cada pescadora e cada pescador, e defendemos que elas e eles sejam protagonistas da própria transformação social.