Junte-se e apoie a campanha “Preparamos uma tenda para o Menino Jesus!”

“Eu vim para que tenham vida, e vida em abundância” (João 10:10).

Convidamos todas e todos a participar da a V Jornada Mundial dos Pobres, iniciada domingo, 07, e que vai até o dia 14, culminando no Dia Mundial dos Pobres. Por iniciativa do Papa Francisco, o convite é estimular as pessoas, independentemente da sua pertença religiosa, para que reajam diante das desigualdades sociais, assumindo a cultura do encontro e da partilha em todas as formas de solidariedade, como sinal concreto de fraternidade”.

Nesta semana dedicada à solidariedade, a Cáritas Diocesana de Crateús, em parceria com a Paroquia do Senhor do Bomfim, estão mobilizando-se para realizar a campanha “Vamos preparar uma tenda para o Menino Jesus!”, com o objetivo de fortalecer à solidariedade aos catadores e as catadoras de matérias recicláveis que atuam no lixão de Crateús.

Os realizadores da campanha estão recebendo doações de equipamento de proteção individual como botas, luvas, máscaras, meias e lonas, e também de arrecadação de recursos econômicos que serão destinados à construção de barracas dentro do lixão de Crateús, para as 70 famílias que residem e trabalham no local.

Interessados e interessadas em colaborar podem entregar os itens diretamente na sede da Secretaria da Paróquia Senhor do Bonfim.

Para ajuda financeira:
PIX: 88988819014
Caritas Diocesana de Crateús
Banco do Brasil
Agência 237-2 / CC – 37.219-6
CNPJ: 07.354.285/0001-63

Segue os valores dos itens que precisamos arrecadar:

O milho hidropônico ajuda agricultores e agricultoras no enfrentamento à estiagem

Dona Francisca Ferreira Neves, agricultora da comunidade Tapera, em Arneiroz, é beneficiada pelo Projeto Paulo Freire, desenvolvendo a atividade da avicultura. No dia 23 de setembro, participou da oficina para a produção de milho hidropônico, uma tecnologia de convivência com o Semiárido que permite produzir forragem em pequenos espaços e com pouca quantidade de água.

A forragem hidropônica se diferencia por ser um produto barato e oferece alternativa para pequenos agricultores e agricultoras por ser fácil de ser produzido, pois em duas ou três semanas, 20 kg a 30 kg de forragem estão prontos para o consumo de animais de qualquer espécie.

“Considerando o alongamento do período de estiagem, o milho hidropônico é uma alternativa de suplementação volumosa, de baixo custo e fácil obtenção para a agricultura familiar”, comenta Erivaldo Lô, agente Cáritas que capacitou as famílias acompanhadas sobre o uso desta tecnologia.

Dona Francisca em poucos meses já está produzindo o segundo canteiro de milho hidropônico e relata que “a decisão de adotar o milho hidropônico foi válida para enfrentar a estiagem, pois o resultado é rápido e de muita qualidade, com alto valor energético e proteico para alimentação animal, e que nos ajuda a garantir a alimentação deles gastando bem pouca água”, conclui.

Por Angelica Tomassini, comunicadora popular da Cáritas Diocesana de Crateús

CATADORAS E CATADORES DO LIXÃO DE CRATEÚS RECEBEM RESERVATÓRIO PARA ARMAZENAR ÁGUA POTÁVEL

Na sexta-feira passada, 15, foi entregue uma caixa d’água para os catadores e as catadoras de materiais recicláveis que trabalham e/ou residem no lixão de Crateús. A ação foi possível graças a recursos conquistados a partir de uma campanha de solidariedade promovida pela Cáritas Diocesana de Crateús, em parceria com a Paróquia Senhor do Bonfim, com fundamental colaboração de movimentos sociais da cidade.

A implementação do reservatório amenizou a falta de água potável dentro do lixão, um dos tantos desafios que cada dia ameaçam a vida da categoria dos catadores e catadoras. “Estou muito feliz, agora temos água para beber e cozinhar”, comemorou Francidalva Ribeiro de Souza, que ao longo da sua vida, sustentou oito filhos trabalhando no local.

Segundo ela, as condições de trabalho das pessoas que separam material reciclável são péssimas: “Aqui, não temos coisa nenhuma que nos protege. Nós vivemos nos cortando, porque não temos luvas nem botas. Calçamos com sapatos velhos que a gente acha no lixo, vestimos roupa velha”, conclui Francivalda.

POLÍTICA NACIONAL DE RESIDUOS SÓLIDOS

Segundo a Secretaria do Meio Ambiente do Estado, o Ceará tem hoje aproximadamente 300 lixões. Pelo que determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS, lei nº 12.305/10), todos eles deveriam ter sido substituídos por aterros sanitários desde agosto de 2014, mas até há apenas oito aterros.

”Em todo o estado do Ceará tem lixões completamente irregulares, sem o menor respeito ao meio ambiente e com pessoas trabalhando neles sem o devido amparo”, comenta Ir. Erbenia de Sousa, coordenadora da Cáritas Diocesana de Crateús. Ela faz um apelo às instituições políticas locais: “A prefeitura, além de cumprir a Lei dos Resíduos Sólidos, deveria investir na coleta seletiva e dar a devida atenção às catadoras e aos catadores de material reciclável, pois a categoria desenvolve um trabalho fundamental ao meio ambiente e ainda não é valorizada devidamente”.

Feira da Agricultura Familiar volta para a Rua Coronel Totó, em Crateús, a cada primeira Sexta-feira do mês

Hoje, 01, com a presença de 33 feirantes, retornou a II Edição da Feira da Agricultura Familiar e Economia Popular Solidária, organizada pela Prefeitura de Crateús em parceria com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento, e com o apoio da Cáritas Diocesana de Crateús. O evento ocorrerá cada primeira Sexta-feira do mês, das 07h às 12h, na rua Coronel Totó, no centro de Crateús. 

Após mais de um ano sem ser realizada presencialmente, a feira retoma suas atividades com nove feirantes e uma variedade de produtos da agricultura familiar e de artesanato, como  doces, bolos, biscoitos, frutas, verduras, peixe entre outros. O uso de máscaras o distanciamento social são obrigatórios, como medida de enfrentamento à Covid-19.

“A feira ocorre desde 2019 e devido à pandemia, foi suspensa.  Agora, ela retorna atendendo a todos os protocolos de proteção contra o coronavírus”, destaca Leonardo Machado, agente Cáritas que acompanha os agricultores as agricultoras do nosso território, ainda falando que “o convite se estende a todos para que visitem a feira, que tem produtos de qualidade vindos diretamente do campo, sendo uma forma de valorizar nossos produtores rurais”.

“Não tem palavras para descrever minha alegria em estar aqui de novo!”, exclama dona Antonieta Araújo, uma das principais referências em agroecologia em Crateús e que hoje está de volta com sua barraca na feira. ”Nós, produtores rurais, precisamos desse evento para comercializar nossos produtos, principalmente nessa situação difícil de pandemia” conclui ela, que também revela a felicidade em rever os antigos clientes e os companheiros e as companheiras que, como ela, fazem questão de oferecer produtos livre de agrotóxicos e saudáveis para as pessoas e para a nossa Casa Comum, que é o meio ambiente.

Texto de Angelica Tomassini – Fotos de Mirna Sousa, comunicadoras populares da Cáritas Diocesana de Crateús

CAMPANHA DE SOLIDARIEDADE REALIZADA POR FUNDAÇÃO ITALIANA PROSSEGUE

Continuaa campanha de solidariedade lançada pela Fundação Specchio d’Itália e realizada pela Cáritas Diocesana de Crateús, que tem por objetivo a arrecadação de donativos para famílias que passam por dificuldades durante a pandemia. Desde o início da ação, em julho, já foram beneficiadas mais de 160 núcleos familiares e na última sexta-feira, 17, foram entregues 35 cestas básicas para as famílias que trabalham no lixão de Crateús. Na ocasião, houve também um momento de espiritualidade, para agradecer pelo dom da vida e dar graças pela chegada desses alimentos, um gesto fundamental neste momento ainda mais desafiador do que os catadores e as catadoras já vivenciavam antes da chegada da pandemia.

VOLUNTARIOS CISV

A realização da campanha tem como incentivo o empenho dos jovens voluntários e voluntárias italianas, que prestaram serviço na Cáritas de Crateús nos anos passados, e que nunca perderam os contatos com a instituição. Marco Ciot, Marta Versaci e Viviana Pittalis, juntamente com as voluntárias deste ano, Jessica Genova e Elena Manariello, mobilizaram amigos, familiares e conhecidos e conseguiram arrecadar mais de 5 mil euros, cerca de R $32 mil na cotação atual.

“A gente deixou Crateús, mas Crateús nunca deixa nosso coração e nossa alma”, afirma Marco Ciot, voluntário que prestou serviço em 2016. Segundo ele, durante a pandemia os jornais europeus falaram muito da trágica crise sanitária e política que o Brasil vivenciou, porém com o avanço da vacinação esse interesse tem diminuído. “Na Europa achamos que as dificuldades do gigante sulamericano são por causa da COVID-19, esquecendo que a fome e as injustiças sociais matavam já muito antes da pandemia começar”, relata Marco.

“Crateús é um lugar onde sempre me senti bem-vinda e querida por todos e todas”, conta Marta Versaci, voluntária que atualmente trabalha pela Fundação Specchio d’ Italia como projetista. “Quando abrimos a campanha, não sabíamos como ia ser, se ia dar certo ou não. Meus companheiros e eu dedicamos muitos esforços para que fosse divulgada corretamente, e hoje estamos muito satisfeitos”, continua Marta. Segundo ela, o resultado da campanha até aqui é satisfatório e terá continuidade. “Unidos somos mais fortes, e de qualquer lugar do mundo nós estejamos, continuaremos apoiando a causa do povo cearense”, concluiu.

Texto de Angelica Tomassini, Fotos de Mirna Sousa