Paulo Freire faz balanço das ações realizadas

Foi realizado na última terça-feira (09/08), em Tauá, encontro de avaliação dos 10 meses de realização do Projeto Paulo Freire na região dos Inhamuns. Representantes da Unidade Gerenciadora do Projeto (UGP), do escritório local, participaram da reunião com agentes Cáritas, responsáveis pela Assistência Técnica Contínua (ATC). Foram debatidos avanços e desafios apresentados ao longo desse processo e o que fazer para continuar gerando aprendizagens e melhoria de vida das comunidades atendidas.

Entre os desafios apontados o destaque é a situação hídrica, que põe em risco a produção em algumas comunidades. Entre os avanços estão os intercâmbios experienciados e várias parcerias firmadas nesse início de execução de projeto, que tem previsão de duração de três anos, visando atender famílias camponesas nos municípios de Aiuaba, Arneiroz, Parambu, Quiterianópolis e Tauá.

O Paulo Freire é realizado pela Cáritas Diocesana de Crateús e financiado pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Estado do Ceará (SDA) e Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

Projeto Paulo Freire: Comunidade do Boqueirão recebe agentes do FIDA

Na última quinta-feira (09/06),representantes do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) visitaram a comunidade Boqueirão, município de Arneiroz, para dialogarem com a comunidade os avanços e os desafios da realização do Projeto Paulo Freire, executado na região dos Inhamuns pela Cáritas Diocesana de Crateús (CDC). Em tom de bate-papo, a comunidade ficou à vontade para contar um pouco da história da organização e da conquista de direitos pela população organizada naquela localidade, bem como apresentou ideias que certamente irão contribuir para o aperfeiçoamento do projeto.

Entre os pontos apontados pela comunidade como desafios estão a quantidade de famílias que podem formar grupos produtivos, pois o número mínimo de 10 limitou a criação de alguns deles, e consequentemente a incorporação de mais famílias foi prejudicada. Outro limite posto é a gestão de recursos financeiros, que serão repassados diretamente às organizações comunitárias, pois a adaptação das lideranças para o uso da plataforma de gerenciamento utilizada pelo Governo do Estado, caso não absorvida a contento, pode gerar futuros prejuízos. “Nós ficamos satisfeitos em ser uma das comunidades contempladas pelo projeto, porque ele certamente veio a somar e vai render muitos frutos à comunidade”, apontou como um dos pontos positivos, Francisco Leite dos Reis, presidente da associação comunitária.

 

Intervenção de Francisco Leite, presidente da associação comunitária

Pelo Fida participaram Hardt Vieira e Octavio Damiane, pela coordenação estadual do Paulo Freire participou Jocimar Ayres Carlos, assessor do componente produtivo, sustentável e ambiental, e Ítalo Regis, gerente de escritório do projeto na região, que aproveitarão os relatos colhidos em Boqueirão, e em outras regiões beneficiadas pelo projeto, para aprimorar a execução do mesmo. Também estiveram presentes toda a equipe técnica da CDC, Daniela Cavalcante, coordenadora, os técnicos de campo Mardones Servulo, Rafael Pinheiro, José Loiola  e Romério Cavalcante, além de Adriano Leitão, da coordenação diocesana da Cáritas.

ASSISTÊNCIA TÉCNICA

A comunidade manifestou satisfação com a assistência técnica prestada de forma permanente às famílias beneficiadas pelo projeto. “Até hoje a gente tinha assistência da Ematerce, mas era uma visita por mês. Fora isso nunca tivemos um acompanhamento mais de perto”, declarou Flávio Paiva. Para além do acompanhamento sistemático, também foram desenvolvidos nos últimos meses processos formativos como oficinas de agroecologia, convivência com o Semiárido, associativismo e economia popular solidária, além do intercâmbio realizado na XII Feira Regional da Agricultura Familiar e Economia Popular Solidária, na qual eles puderam participar de formação sobre acesso a crédito e comercializar produtos nos dias 02 e 03 de junho.

“Diante do que foi visto, a equipe técnica da Cáritas fica satisfeita com o andamento do projeto na comunidade, pois acreditamos que somos apenas um elo de todo esse processo, e que a força maior deste elo parte das famílias que estão presentes, atuantes e esperançosas que tudo dê certo”, pontuou Daniela.

Comitês Locais garantirão transparência ao Projeto Paulo Freire

Criação do Comitê em Parambu

Foram formados comitês locais para fazer controle social da execução do Projeto Paulo Freire, realizado pela Cáritas Diocesana de Crateús (CDC), com financiamento da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) e Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA). Este importante mecanismo para garantir autonomia das comunidades na realização das atividades do projeto é composto 50% por representantes das famílias atendidas, 25% por organizações não governamentais e 25% pelo poder público.

As reuniões que criaram os comitês ocorreram nas sedes do sindicato dos/as trabalhadores/as rurais de  Quiterianópolis, Parambu e Arneiroz. Em Aiuaba o encontro se deu na sede da Ematerce e em Tauá no escritório do Projeto Paulo Freire da região dos Inhamuns. Estiveram presentes, além das/os líderes comunitários, o gerente do Monitoramento da Unidade de Gerenciamento do Projeto (UGP) Lúcia Sousa, técnico de campo do Projeto no Cairiri, Josué Dantas, assistente administrativa do escritório do Sertão dos Inhamuns, Antônia Emmanuele, Valdenia Delmondes, coordenadora pela CDC e técnicos de referência de cada município.

“Serão realizados pelo menos dois encontros anuais de cada comitê, onde serão apresentadas as agendas e serão feitos os monitoramentos de todo o processo, as avaliações, onde cada etapa poderá ser questionada e consequente melhorada”, explicou Valdenia.

Meta

A meta do Projeto Paulo Freire é, até 2018, capacitar e empoderar 500 famílias na perspectiva do desenvolvimento local sustentável. O mesmo disponibiliza assessoria técnica e apoio a projetos produtivos sustentáveis gestados e pensados pelas próprias comunidades, na perspectiva de gerar autonomia e garantir protagonismo das sujeitas e dos sujeitos em todo o processo.

500 Famílias deverão ser beneficiadas com Paulo Freire

Para honrar o nome de um dos maiores educadores do mundo, o Projeto Paulo Freire já está dando condições para centenas de famílias na região dos Inhamuns conquistarem de forma soberana e autônoma uma vida melhor. A meta é, até 2018, capacitar e empoderar 500 famílias na perspectiva de um desenvolvimento local sustentável. Os municípios beneficiados são Aiuaba, Arneiroz, Parambu, Quiterianópolis e Tauá. O projeto disponibiliza assessoria técnica e apoio a projetos produtivos sustentáveis, numa realização da Cáritas Diocesana de Crateús, com financiamento da Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA) e Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

“Nós já estamos atuando na região desde o segundo semestre do ano passado. Além do cadastro das famílias, nós realizamos nas comunidades beneficiadas o Diagnóstico Rural Participativo (DRP) e o Plano de Desenvolvimento (PD), e em algumas já estamos na etapa do Plano de Negócio (PN), que é o nosso próximo passo no cronograma”, explicou Valdênia Delmondes, agente Cáritas e coordenadora do projeto. Segundo ela, esta primeira fase visa descobrir, coletiva e democraticamente, as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças de cada localidade.

Ou seja, como defendia Freire, um projeto de educação popular e tão pouco os/as educadores/as envolvidas/os no processo podem se apresentar como “prontos e acabados”. Ao contrário, o desenvolvimento das ações em cada local dependerá do que cada comunidade vai sonhar durante o Plano de Desenvolvimento, sem tirar o pé do chão da realidade concreta que foi estudado durante o DRP. Essa dinamicidade garantirá autonomia para “ao fim da execução do projeto, as famílias consigam voar com as próprias asas”, conclui Valdênia.

Abaixo você pode ver as imagens de algumas ações realizadas nas comunidades beneficiadas.

 

DRP e PD na comunidade Fazenda Nova, em Aiuaba
DRP e PD na comunidade Fazenda Nova, em Aiuaba

DRP e PD para as comunidades Serra dos Bois e Chapada, em Aiuaba

DRP e PD para as comunidades Agrovila e Boqueirão, em Arneiroz

PD na comunidade Novo Horizonte, em Arneiroz

 

DRP e DP em São Gonçalo, em Parambu

 

DRP e PD na Serra dos Paulos, em Parambu.

 

 

DRP e PD na comunidade Gavião, em Quiterianópolis

 

DRP e PD na Comunidade Fidélis, em Quiterianópolis

 

 

PD na comunidade Cachoeira, em Tauá

 

PD nas comunidades Sítio e Lagoa, em Tauá

 

Cáritas dá início ao Projeto Paulo Freire

 

Capacitação na comunidade Gavião, em Quiterianópolis

A Cáritas Diocesana de Crateús está dando início à realização do Projeto Paulo Freire, que visa prestar assessoria técnica para agricultoras e agricultores nos municípios de Tauá, Parambu, Aiuaba e Arneiroz e Quiterianópolis, atendendo um total de 500 famílias. O projeto é financiado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrário (FIDA) em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (DAS). Atualmente, o projeto encontra-se em fase de elaboração de planos e capacitações preparativas.

Durante os dias 15 e 16/09, na Comunidade de Gavião- Quiterianopolis, ocorre a capacitação e elaboração do Plano de Negócios, sendo facilitada por Emanuel, consultor do FIDA, em parceria com a SDA. É mais uma das etapas do Projeto Paulo Freire, que ja esteve presente nas comunidades realizando um diagnóstico, para reconhecer a realidade da comunidade, e através disto, desenvolver as potencialidades da localidade e desenvolver projetos produtivos e de capacidades. Estão presentes nesta capacitação, a Unidade de Gerenciamento do Paulo Freire da SDA, os Escritórios Regionais de Tauá, Sobral e Campos Sales.

As parceiras que irão prestar assessoria técnica no Estado do Ceará são: Cáritas Diocesana de Crateus, na região dos Inhamuns/Crateus, o CETRA na região de Sobral e Flor do Pequi na região do Cariri.